Erros que não deve MESMO cometer em sua casa

Request quote

Invalid number. Please check the country code, prefix and phone number
By clicking 'Send' I confirm I have read the Privacy Policy & agree that my foregoing information will be processed to answer my request.
Note: You can revoke your consent by emailing privacy@homify.com with effect for the future.

Erros que não deve MESMO cometer em sua casa

Elisabete Figueiredo—HOMIFY Elisabete Figueiredo—HOMIFY
 Corridor & hallway by 주택설계전문 디자인그룹 홈스타일토토, Modern
Loading admin actions …

Na vida todos cometemos erros! Uns mais graves, outros menos, alguns com consequências, outros facilmente reparáveis. E a decoração da nossa casa é um terreno fértil em erros, felizmente de fácil reparação (na maior parte dos casos)! 

Um ambiente interior deve pautar-se por alguns princípios de equilíbrio, harmonia e funcionalidade, sem os quais a sua vivência se torna bem mais desagradável. Porque, independentemente do gosto pessoal ou da tendência do momento, há alguns princípios básicos que ajudam bastante a conseguir um melhor aproveitamento da casa, seja ela grande ou pequena, nova ou velha. 

Descuidos, desleixos, compras irrefletidas, falta de planificação… Uma longa de lista de erros que devemos conhecer para os podermos evitar! Hoje selecionámos uma pequena lista com alguns erros muito frequentes, mas que não devemos mesmo cometer na nossa casa. Acompanhe-nos e confira se ainda está a deixar algum passar!

1. Desvalorizar a estética da cozinha

A cozinha é para trabalhar! Ou… O que interessa se a cozinha é feia desde que seja prática?’

Também pensa assim? Pense outra vez! Só a cozinhar e a limpar passamos algumas horas por dia, se a isso somarmos outras tarefas muito comuns a este espaço, como tratar da roupa, ou fazer refeições esse tempo aumenta exponencialmente. E é preciso dizer que muitas vezes a cozinha acaba por servir de escritório, mesa para trabalhos de casa, área de receções e até sala de estar. Junte todos estes elementos e vai perceber que afinal a cozinha acaba por ser o centro nevrálgico de sua casa, que passa ali muito do tempo em que está em casa. Quem quer estar rodeado de coisas feias durante tanto tempo? 

Não descure nunca a estética da sua cozinha, mas também não pode deixar passar a funcionalidade… É possível conseguir ambas com algum esforço, pesquisa e amor. E nem uma cozinha de dimensões pouco generosas é desculpa para ter um espaço feio! Nós na homify temos uma grande variedade de ideias para se inspirar. Visite-nos!

2. Desvalorizar a estética da casa de banho

Outro espaço, idênticos erros… A casa de banho é uma casa de banho, tem pouco interesse e nunca ninguém lá vai além de nós! Ninguém? E as visitas, vão onde? Mas mesmo que as visitas não sejam frequentes em sua casa, não significa que tenha de ter uma casa de banho feia e desleixada! 

A casa de banho é outro ambiente da casa onde passamos bastante tempo e que toca muito na nossa intimidade. É importante que nos sintamos ali bem, que seja bonita, que tenha espaço de arrumação, que reflita a nossa personalidade. Um ambiente feio e desleixado vai deixá-lo sempre pouco à vontade para o que tiver de fazer na casa de banho. 

Não é preciso gastar fortunas para ter uma casa de banho bem arranjada. Basta vontade e criatividade! Bastam uns azulejos novos, uns acessórios modernos ou uns tapetes catitas, para conseguir dar um ar totalmente novo e cuidado à sua casa de banho. E limpeza… Sempre. E uma vez mais, tamanho não é documento, uma casa de banho pequena poder ficar fabulosa. Quer saber como fazê-lo? Então leia também o artigo ’10 casas de banho pequenas mas cheias de estilo’.

3. Demasiado apego a objetos

Nós sabemos como é difícil deixar ir certas coisas… Aquela moldura partida num canto que era da avó, ou TODOS os desenhos que o seu filho pintou nas férias. Um brinquedo que eles adoravam quando eram pequenos, ou mesmo a coleção de chuchas do mais novo. Os objetos refletem muitas vezes a nossa história e as nossas vivências, é difícil separarmo-nos deles! Só que a determinada altura é demais, e a casa deixa de ter um estilo para ser um armazém. 

Acumular pode até tornar-se uma doença em casos mais graves, e ameaçar o ambiente interior de sua casa e o bem-estar da sua família. Mas não querendo chegar a tanto, o que acontece na maior parte das vezes é que manter a ordem e a estética se torna impossível. 

Então pratique o desapego! Escolha aquelas peças que lhe são mais queridas e desfaça-se das outras… Opte por tirar fotografias àqueles itens que vão deixar saudades, como brinquedos e pecinhas de roupa, chávenas e outras recordações, e depois ofereça a quem precisa. São apenas objetos, os sentimentos vão ficar para sempre, e a sua casa vai ficar muito melhor.

4. Não planear espaços de arrumação

O minimalismo é a sua cena, mas não consegue praticá-lo por falta de espaço de arrumação? Adorou aquela casa ampla e desafogada, comprou ou alugou, e só depois reparou que não tem qualquer espaço de arrumação? Já teve de comprar uma dúzia de caixas e caixotes e ainda há peças fora do sítio? Não se sinta mal com isso, a falta de planeamento da arrumação é muito comum. E depois o que acontece é o improviso, que por vezes pode correr mal e estragar todo um ambiente que tinha imaginado…  

Então quando pensar num espaço, seja um quarto, uma sala, uma cozinha ou outro qualquer, lembre-se sempre de planear o espaço de arrumação adequado para manter a estética escolhida. Inspire-se no incrível trabalho de marcenaria levado a cabo nesta mobília feita à medida, da autoria do Architectural & Design Studio.

5. Distribuir os elementos de forma pouco harmoniosa

modern  by Laskasas, Modern Textile Amber/Gold

É verdade que a noção de equilíbrio e estética são diferentes de pessoa para pessoa, mas convenhamos que todos temos alguma noção de harmonia, é inato ao ser humano. No entanto, quando toca à decoração nem sempre as escolhas são equilibradas ou harmoniosas porque entram com muitos mais fatores, como o gosto em termos de cores, a perceção espacial ou a arquitetura do próprio espaço, o que faz o erro acontecer!

O conceito chave manda que se tente aproveitar ao máximo o espaço disponível. Perceba as suas necessidades de espaço de circulação, de arrumação ou de funcionalidade e confronte-as com a área que tem disponível. Depois estude as características do próprio compartimento, a distribuição da luz, os pontos que precisa de fazer sobressair ou esconder. E só depois faça a distribuição dos elementos, dando sempre prioridade ao conforto. Evite acumulações de itens numa extremidade do espaço, em relação a uma área vazia. Escolha alguns elementos básicos e dê-lhes vida com acessórios em destaque, e sobretudo tente que os elementos tenham algum fio condutor entre eles, para poder haver harmonia.

6. Escolher as cores por impulso

Nós na homify percebemos o peso que as tendências da moda podem ter quando se trata de projetar uma decoração, mas escolher uma cor para a sua casa pode revelar-se uma tarefa espinhosa e muito atreita a erros. 

Desde cores berrantes, que cansam só de olhar e o obrigam a pintar as paredes pouco tempo depois, até às cores escuras da moda que transformaram a sua pequena sala num tugúrio escuro e deprimente, há erros para todos os gostos, quando toca a escolher cores. Mas há alguns princípios base que deve conhecer e que vão evitar alguns desses erros: 

- As cores claras aumentam a perceção e a sensação de espaço, enquanto as cores escuras provocam o efeito contrário, tornando-os mais acanhados. 

- Os tons pastel e neutros ajudam a criar um ambiente mais tranquilo, enquanto as cores vivas potencializam a alegria e a força dos ambientes. 

- As cores quentes tornam os ambientes mais acolhedores e sensuais, as cores frias tornam-nos mais luminosos, vivos e clean. A cor tendência para este ano é o verde, mas nem sonhe colocá-lo em sua casa se o for combinar com laranjas ou vermelhos! O patriotismo é bonito, mas só combina na bandeira. 

_ Lembre-se que quanto mais via é uma cor (em especial se for combinada com padrões), mais impacto causa ao olhar e mais depressa pode cansar.

7. Ignorar a importância da entrada

E para acabar esta listinha, que já deu nos deu tanto para pensar, temos um erro mais frequente do que possa imaginar: deixar a entrada de casa despida, pouco funcional ou pouco estética! 

A entrada é o cartão-de-visita da casa. Já o dissemos várias vezes, mas nunca é demais lembrar que a entrada é aquilo que a maior parte das pessoas verá de sua casa, elo que o aspeto cuidado e estético da entrada é fundamental para causar boa impressão. 

Por outro lado, franquear a entrada de casa significa transpor o limite do público para o privado, e há coisa que devem ficar aí mesmo à porta. Os sapatos são uma delas… Vêm sujos e não devem ir para as áreas mais limpas da casa. Mas as carteiras, os guarda-chuvas ou as chaves também não têm porquê entrar. 

Construir uma entrada funcional e estética, como a da imagem acima é fundamental para ter um cartão de visitas tão perfeito como útil!

Whitton Drive:  Terrace house by GK Architects Ltd, Modern

Need help with your home project?
Get in touch!

Discover home inspiration!